Provedoria do Cliente

Bem-vindo à Provedoria do Cliente

A Provedoria do Cliente foi criada com a finalidade de proporcionar aos Clientes a possibilidade de apresentarem as reclamações que considerarem oportunas.

Defende os direitos e os legítimos interesses dos Clientes e assegura de forma personalizada o acompanhamento das reclamações junto da Sociedade, existindo sempre a preocupação de manter e melhorar o entendimento entre o Cliente e a Sociedade, sem interferir em matérias estritamente comerciais da competência da relação entre a Sociedade e os seus Clientes.

As recomendações da Provedoria do Cliente são vinculativas para todos os Órgãos do Banco, após obterem a aprovação do Conselho de Administração.

Direito a Reclamar

Os Clientes podem exercer o direito a reclamar sempre que no âmbito da celebração de um contrato ou no decurso do mesmo, ou ainda aquando da aquisição de um serviço de investimento, entenderem que a Sociedade não agiu de forma adequada.

O direito a reclamar é reconhecido a todos os Clientes, devendo o motivo subjacente à reclamação, ou seja, o conteúdo da mesma, estar relacionado diretamente com as atividades desenvolvidas pela Sociedade.

O direito a reclamar por parte dos Clientes constitui um meio de proteção dos seus direitos, permitindo também compensar qualquer assimetria de informação que possa existir na relação contratual e solucionar diferendos entre a Sociedade e os seus Clientes.

Reclamação

Os Clientes poderão remeter as suas reclamações por carta ao cuidado da Provedoria do Cliente para Rua Barata Salgueiro, n.º 33, Piso 0, 1250-042 Lisboa ou por email para o endereço eletrónico info@bisonbank.com.

O Banco é também possuidor de Livro de Reclamações nos locais de atendimento ao público. Este meio constitui um outro instrumento que facilita o exercício do direito a reclamar, proporcionando aos Clientes a possibilidade de o fazer no local onde a situação que originou a reclamação ocorreu.

O Livro de Reclamações é facultado imediata e gratuitamente aos Clientes sempre que estes o solicitarem, sendo as respetivas folhas de reclamação enviadas ao Banco de Portugal. Se eventualmente os Clientes considerarem que existe uma recusa na entrega do Livro de Reclamações, poderão requerer a presença da autoridade policial a fim de remover essa recusa, encontrando-se essa autoridade obrigada a tomar nota da ocorrência e dela dar conhecimento às entidades de supervisão.

Os Clientes têm, ainda, o direito de apresentar reclamações diretamente ao Banco de Portugal e à CMVM. No que se refere a reclamações sobre matérias que se prendam com a prestação de serviços de intermediação financeira, quando exaradas no Livro de Reclamações estas, apesar de remetidas ao Banco de Portugal de acordo com a Lei, são reencaminhas posteriormente à CMVM.