Sistema de Controlo de Risco

Função de risco

O Sistema de Controlo de Risco do Bison Bank procura identificar, monitorizar, avaliar e gerir todos os riscos do Banco. O Bison Bank reconhece que a gestão de risco é um pilar fundamental para assegurar a estabilidade e sustentabilidade do Banco, pelo que o Conselho de Administração adota uma abordagem conservadora em relação à gestão de risco.

Neste contexto, destaca-se a importância de uma monitorização e de um controlo adequado dos riscos, financeiros e não financeiros, inerentes à atividade do banco, entre os quais os riscos em matéria de crédito, imobiliário, mercado, liquidez, taxas de juros, concentração, negócio e estratégia.

A cultura organizacional do Banco privilegia uma abordagem em que todos os colaboradores são responsáveis pela gestão de riscos, quer quando os riscos se inserem no âmbito específico das funções que desempenham, quer no quadro dos deveres de regulação, ética e profissionalismo de cada um. Assim, o sistema de controlo de risco está completamente imbuído na cultura organizacional da instituição.

Os princípios de gestão de risco de alto nível são implementados por meio de políticas, limites e orientações operacionais, bem como de metodologias e ferramentas de identificação e monitorização de risco. Em conjunto, estes elementos constituem a estrutura de gestão de risco do Banco.

image.png

O sistema de controlo interno do Bison Bank conta com políticas e procedimentos abrangentes e integrados de natureza quantitativa e qualitativa. Estas políticas e estes procedimentos aplicam-se de forma ampla para assegurar a avaliação e o controlo de riscos, o reporte independente e um comportamento responsável, sem deixar de procurar assegurar o respeito e a adoção das orientações regulamentares, legais e preventivas.

O Banco promove uma análise periódica das políticas e procedimentos de gestão de risco, de forma a acompanhar as mudanças nos mercados, nos produtos e nas melhores práticas. O Conselho de Administração é responsável pela definição das políticas referidas e é apoiado pelo departamento de risco em matéria de monitorização do risco. O departamento monitoriza os riscos mais significativos e, sempre que necessário, propõe novas políticas e/ou medidas corretivas para assegurar que os riscos são prevenidos e mitigados.

Função de Compliance

A área de Compliance do Banco é responsável por (i) assegurar o respeito pelos requisitos legais e regulamentares aplicáveis, incluindo pelas disposições e normas dos códigos de conduta internos, (ii) promover um ambiente de controlo e transparência na estrutura organizacional consentâneo com a complexidade de serviços disponibilizados pela instituição, (iii) monitorizar a adequação e eficiência dos controlos associados aos riscos da banca e (iv) proteger a reputação do Banco.

Auditoria interna

A auditoria interna desempenha um papel fundamental no sistema de controlos internos do Banco. As fiscalizações regulares baseiam-se nas prioridades definidas pelo Conselho de Administração, tendo em conta os riscos inerentes às várias atividades e negócios do Banco.

A função de Auditoria é objetiva e imparcial e, por meio de análises periódicas, desempenha um papel essencial na identificação de quaisquer debilidades no sistema de controlo, nas políticas de gestão de risco e na conformidade com os precedimentos internos definidos pelo Banco. As fiscalizações cobrem áreas de negócio e operação, e os resultados são comunicados diretamente ao Conselho de Administração e ao Conselho Fiscal.

Além da função de Risco, da função de Compliance e da Auditoria Interna, o departamento jurídico presta assessoria às unidades de negócio responsáveis pela minimização e mitigação de riscos legais em todas as atividades operacionais, institucionais e administrativas do Banco.